quarta-feira, 20 de maio de 2015

Sem força pra pensar num título

Eu venho lutando com depressão por um bom tempo. Eu não sabia antes, mas estava acontecendo, e desde que eu não sabia o que estava acontecendo, eu não fiz nada para corrigi-lo, e as coisas pioraram.
Pioraram a ponto de eu não me sentir como se fosse digna de viver, ou de não merecer nada do que tenho. E eu tenho muito: uma família amorosa, um marido incrível, duas cachorras fofas e malucas, e alguns bons amigos. Mas eu sinto que não os mereço.
E eu tenho uma outra coisa que é ainda maior do que as outras coisas que eu disse: Eu tenho DEUS!
O que me faz sentir ainda pior, porque Se eu tenho Deus, eu tenho que ser feliz e grata, e sentir da maneira que eu me sinto agora é errado, é um pecado e eu vou para o inferno.
Ninguém sabe como é se sentir como nada que você faz é certo, e mesmo se você está fazendo algo certo há uma enorme possibilidade de falhar em um futuro muito próximo ou que, mesmo se você ache que você está fazendo certo...  você está errado.
Ninguém sabe como é se sentir como se você não é capaz de fazer, literalmente, qualquer coisa. Ninguém sabe como é ver que este não é apenas um pensamento, mas a realidade.
Ninguém entende que quando você diz coisas verdadeiras sobre si mesmo, não é auto-piedade, mas é só você encarando o fato de que você não é aquela coisa impressionante que você pensou que era.
As pessoas pensam que gritar com você, ou se irritar com você ou dar lições de moral vai ajudar, mas não! Elas só fazem você se sentir ainda pior e mais culpado.
CULPADO esta palavra tem rondado a minha mente com uma certa freqüência. Culpado de quê? De tudo! Culpada por não ser capaz de fazer algo útil, culpado de estar deprimido, culpado deste sentimento que você tem, porque esta é apenas uma coisa em sua mente, que você deixa acontecer.
Culpado de ter e manter estes pensamentos, porque é isso que as pessoas dizem: "Enquanto você continuar pensando assim, você nunca vai ficar melhor"!
Mas o que as pessoas não sabem é que isso este é mais forte do que você, não é assim tão fácil se olhar no espelho, voltar ao seu passado e que você tem uma certa idade, e você não realizou nada, você não fez qualquer coisa notável, que você é esquecível.
Não é algo que você pode controlar. As pessoas não têm ideia de quão difícil é acordar todos os dias e desejar ficar na cama o dia todo, não porque você é preguiçoso, mas porque você não tem força para se levantar. Na sua você mente diz que tem que levantar, mas seu corpo é está muito pesado para fazê-lo. E, ao mesmo tempo em que você não quer se levantar, você se sente (de novo) culpado porque você deveria estar fazendo algo útil, mas você simplesmente não consegue.
Seria interessante se as pessoas pudessem entender como é sentir o corpo todo doendo sem motivo, ou se sentir desconfortável em sua própria casa, desconfortável com seu próprio corpo, desconfortável com sua vida.
Ou se sentir culpado por se sentir desconfortável, e não ser capaz de corrigir isso ou pelo menos não tem força suficiente para corrigir isso.

As pessoas pensam que você não quer corrigir isso, mas eles não têm ideia de como é difícil olhar para si mesmo no espelho e não ver nada, apenas FALHAS!


I’ve been struggling with depression for a very long time. I didn’t know that before, but it was happening, and since I didn’t knew what was going on, I didn’t do anything to fix it, and things got worse.
Worse to the point that I don’t feel like I’m worth living, or that I don’t deserve anything I have. And I have a lot: a loving family, an amazing husband, two cute crazy dogs, and few good friends. But I feel like I don’t deserve them.
I have another thing that is even bigger than the other things I said: I have GOD!
And this makes me feel even worse, because If I have God, I’m supposed to  be happy and grateful, and to feel the way I feel now is wrong, is a sin and I’m going to hell.
Nobody knows how is to feel like nothing that you do is right, and even if you are doing something right there’s a huge possibility of failure in a very near future or that even if you think you are doing right…..you are wrong.
Nobody knows how is to feel like you are not able to do literally anything. Nobody know how is to see that this is not just a thought, but the reality.
Nobody understand that when you say real things about yourself, is not self pity, but is just you facing the fact that you are not that awesome thing that you thought you were.
People think that shouting with you, or getting angry and giving moral lessons to you is going to help, but no! It just makes you feel even worse and guiltier.
GUILTY this word is been around my mind for a looong time. Guilty of what? Of everything! Guilty for not being able to do something useful, guilty of being depressed, guilty of this feeling you have, BECAUSE THIS IS ONLY A THING ON YOUR MIND, THAT YOU LET HAPPEN.
Guilty of having and keeping these thoughts, because this is what people tell you:  “As long as you keep thinking like that, you will never get better”!
But what people don’t know is that this is stronger than you, is not that easy to see yourself in the mirror, go back to your past and that you are a certain age, and you didn’t accomplished anything, you didn’t do anything remarkable, that you are forgettable.
Is not something that you can control. People have no idea how hard is to wake up everyday wishing and wanting to stay in bed the whole day not because you are lazy, but because you don’t have strength to stand up. You mind says you have to wake up, but your body is just too heavy to do it. And at the same time when you don’t want to stand up, you feel (again) guilty because you should be doing something useful, but you JUST CAN’T.
I wish people could understand how is to feel you whole body hurting with no reason, or to feel uncomfortable in your own house, uncomfortable with you own body, uncomfortable with your life.
And to feel guilty for being uncomfortable, and not being able to fix this or at least to not have enough strength to fix this.
People think I don’t want to fix this, but they don’t have idea how hard it is to look at yourself in the mirror and see nothing but FAILURE!


sábado, 5 de julho de 2014

Neymar é mais brasileiro que eu?!

Eu não sou "paga-pau" de Neymar. Admito que ele seja um excelente jogador. Isso é inegável! Não acho que ele seja a esperança do Brasil na copa. A seleção tem outros jogadores de talentos impressionantes,cada um na sua posição,fazendo o que sabem de melhor. Temos aí David Luiz(que pra mim é o melhor jogador da seleção), Júlio César,Thiago Silva...e por que não o Fred(mais ou menos)?!

 Mas nesse momento de dor dele me sinto com pena. Pena porque se ele chegou até lá, é porque fez por merecer. Se esforçou, treinou, fez o seu trabalho(e recebeu milhões por isso). 
E faltando apenas 2 jogos pra final,ser cortado desse jeito é triste. Sinto pena porque tenho problemas na coluna e sei(e como sei) o quanto dói. Na hora em que ele ficou caído,chorando,sem se mexer, me vi no lugar dele, pois quando tenho crises de dor na coluna fico desse jeito!

Mas ao mesmo tempo fico chateada porque ele tem tratamento diferenciado por ser rico e jogador de futebol. Eu, que pago meus impostos, voto,ajo como uma cidadã de bem e batalho(muito) pelos meus direitos, sou tratada como nada. Fico horas na fila esperando atendimento, em hospitais ou clínicas de péssimas condições, sujas, aparelhos antiquados e enferrujados, vazamentos no teto,água no chão,cadeiras quebradas, macas empenadas.

Fico na fila para um exame por 6 meses enquanto minhas dores ao invés de melhorar só pioram. Me dopando com montes de remédio pra aguentar a dor. E quem se importa com isso?! Só porque ele é jogador de futebol, ele é mais brasileiro do que eu ou outro cidadão qualquer?! 

quinta-feira, 20 de junho de 2013

O senhor não me representa

  
   
Senhor Feliciano, o senhor NÃO me representa!
 Quem me conhece a mais tempo, sabe que eu sou nascida e criada no meio evangélico. Nem gosto dessa palavra pois está muito banalizada,eu sou CRENTE EM JESUS CRISTO! A minha vida toda eu vivi dentro de igrejas batistas,toda a minha família é cristã e é essa vida que eu conheci até os dias de hoje. Desde sempre,aprendi que o principal papel do crente na terra é espalhar o amor de Cristo e fazer a diferença através do amor. E foi essa a realidade que (pelo menos eu) vivi! Porém, há alguns anos, um fato me marcou bastante e eu nunca esqueci. Conversando com uma pessoa de uma igreja, que também teve a mesma criação que a minha,que compartilhava das mesmas doutrinas que eu, me surpreendeu com um comentário que me chocou! Uma pessoa, que minutos antes dessa conversa, estava pregando o "amor pelas almas, o amor ao próximo". Eu dava um testemunho pessoal para esta pessoa, dizendo que um colega de trabalho, me havia dito que tinha gostado muito de me conhecer melhor e que estava muito contente de ter tido coragem de se aproximar de mim, pois sabia que eu era crente e o fato de ele ser gay, poderia ser um empecilho para nossa amizade e eu disse que isso nunca seria um problema pra mim. Esse amigo disse que passou a me respeitar muito mais como cristã, depois dessa minha atitude. Contei isso para essa pessoa, não com o intuito de me vangloriar, mas apenas para ilustrar o que ela havia acabado de falar sobre o amor pelas almas. E pra minha surpresa a reação dessa pessoa, foi virar pra mim e dizer: “Nossa, Thaís, muito me admira você, ter amizade com esse tipo de gente!" Aquilo me chocou de uma tal maneira, que na hora eu fiquei sem ação! Irmazinha, cade aquele sentimento todo que a senhora estava falando agora pouco?! Ficou ali no púlpito? Não estou escrevendo para denegrir a imagem da igreja( pq já tem muita gente fazendo isso), mas é mais como um alerta para as igrejas e não só para os cristãos, mas para o povo de um modo geral! Eu vi uma imagem na internet que dizia: "Eu tenho um amigo gay e ele não precisa de cura.Precisa de respeito." E eu ainda completo, PRECISA DE AMOR! O senhor Marcos Feliciano que fez essa proposta de "cura gay" é o mesmo que também disse que os negros vem de descendência almadiçoada! Olha sr. Feliciano, amaldiçoado será aquele que agir em intuito próprio em nome de Deus! Vamos te dar o benefício da dúvida e dizer que o senhor está usando do seu cargo político de grande visibilidade nacional para ganhar almas pra Jesus(que é o seu papel como crente e principalmente como pastor)! Sinto dizer que o senhor está fazendo errado e ao invés de atrair almas pra Cristo, está repelindo as almas que realmente precisam de salvação! E não digo só pelos gays, digo por nós negros (eu não sou amaldiçoada nada, eu tenho as mais ricas bênçãos de Deus sobre a minha vida todos os dias!), falo pelos pobres, pelos doentes, pelas viúvas,pelo país! O Brasil acordou,mas parece que os cristãos ainda estão meio sonolentos! Vamos pra rua, mas também vamos pras casas, pras igrejas, pros presídios, pras cracolândias....vamos orar! Dito isso; senhor Feliciano, o senhor NÃO me representa como político, como cristão e muito menos como homem! Eu tenho é vergonha do senhor!

domingo, 29 de julho de 2012

Um jazz triste

A sala está vazia. A casa está vazia. Só se ouve o barulho dos carros passando lá fora. Agora o som dos sapatos de salto,batendo quase sem força no chão de madeira velha do seu velho apartamento. Aqueles passos firmes,já não existem mais. Aquela jovem decidida e forte, já não existe mais. O corpo de mulher no auge dos seus vinte e tantos anos, continua o mesmo; os longos cabelos negros que caiam feito cascata sobre os ombros largos, agora milimétricamente cortados num channel impecável, modelam um rosto agora pálido. O rosto que um dia foi cheio de vida,de sorrisos largos, de olhos muito pretos e brilhantes que sorriam mais do que a boca rosada. Esses olhos que agora só servem para que lágrimas amargas transbordem deles, pousam na janela do velho apartamento. "Tá chovendo!"  De fora, se observa a silhueta de uma mulher magra,de postura majestosa,porém infeliz,vazia. A sala está vazia. A casa está vazia. Agora, só um gato canta uma canção com seu miado pesaroso,quase fúnebre. Ela passa os dedos sobre o piano empoeirado e arranha um lá dasafinado. Vazia. Sozinha. Sobre o piano, pontas de cigarro e uma garrafa de uísque barato já pela metade. Chega de silêncio! E o cansado e esquecido vinil gira numa cantilena triste e serena...ao mesmo tempo sombria. E ela volta para a mesma janela,olha para baixo, aperta os olhos para tentar enxergar até o fim da rua...e não vê nada além de um dia cinza,pessoas cinzas,pessoas e cinzas... "É...tá chovendo"...

segunda-feira, 5 de setembro de 2011

Portfólio - TV



parte 2

segunda-feira, 27 de junho de 2011