quinta-feira, 18 de junho de 2009

Post enorme de revolta


Criei este blog em março do ano passado. Estava super empolgada, escrevi o primeiro texto...e nunca mais voltei. Ninguém leu meu texto. Nenhuma vizualização do meu blog. Confesso que me senti rejeitada. É claro que nenhuma mídia, seja ela qual for, já começa com recorde de acessos e vizualizações já no primeiro dia; mas me senti mal com isso. Abandonei o blog...até esqueci que tinha criado.
Ontem, enquanto esperava a hora do ônibus de volta da faculdade, fui até o laboratório de informática, onde já estavam meus amigos, Gustavo e Gabriel(não, eles não são uma dupla sertaneja). Estava pesquisando alguma coisa na net, quando o rosto do Gustavo simplesmente ficou pálido. Ele tinha acabado de ler esta manchete no G1: "Gilmar Mendes vota pelo fim da exigência de diploma para jornalista".
Ficamos chocados, estarrecidos, desanimados,assustados. O tão sonhado diploma, que lutamos há quatro anos para conquistar, não vai mais valer de nada! Resumidamente, o excelentíssimo presidente do STF(Supremo Tribunal Federal) "A formação específica em cursos de jornalismos não é meio idôneo para evitar eventuais riscos à coletividade ou danos a terceiros”, palavras do próprio ministro.
No meu (pouco) entedimento, o minsitro e todos os outros que o acompanham nesta ideia(foram oito votos contra um), eles tem medo da força que a mídia tem diante do povo. Acabando com a exigência de uma formação específica de jornalista, qualquer um que tenha uma escrita "melhorzinha" (ou não) vai poder escrever para qualquer veículo.
Agora, uma coisa eu pergunto: EU REALMENTE PASSEI QUATRO ANOS DA MINHA VIDA, SONHANDO COM ALGO QUE AGORA, NA RETA FINAL, NÃO VAI MAIS VALER DE NADA?
Segundo o dicionário Michaelis, diploma é um "Título ou documento oficial com que se confere um cargo, dignidade, mercê ou privilégio". Um pedaço de papel? Sim, concordo. Mas um pedaço de papel que confirma o tempo que eu passei ralando e sofrendo para chegar onde cheguei. Acho injusto com os calouros que estão começando agora, cheios de sonhos...com os veteranos que estão saindo da faculdade agora(como eu) e esperam um emprego descente.
Mas não quero ser pessimista. Quero crer que na hora de disputar o mercado, os nossos empregadores vão dar valor a quem tem o conhecimento técnico necessário para ser um bom profissional e não aquele que tem muitas ideias e boas amizades dentro do estabelecimento!!!
O que vamos fazer para reverter essa situação e voltarmos a ser valorizados como devemos? Ficar quietos é o que não podemos. Se eles estão fazendo isso por medo, então temos que usar e abusar das nossas principais armas que são a caneta e o papel(ou para os mais modernos rsrs, o computador)! Vamos botar a boca no mundo e fazer valer os nossos direitos!

Abaixo, os e-mails dos ministros que votaram contra nossos diplomas. Vamos lotar a caixa de emails deles.
Carmem Lúcia: anavt@stf.gov.br
Ricardo Lewandowski: gabinete-lewandowski@stf.gov.br
Carlos Ayres Britto: gcarlosbritto@stf.gov.br
Cezar Peluso: carlak@stf.gov.br
Celso de Mello : mcelso@stf.gov.br
O CHEFE DA QUADRILHA: GILMAR MENDES: mgilmar@stf.gov.br

O único a votar contra essa "cambada", Marco Aurélio Mello disse que qualquer profissão é passível de erro, mas que o exercício do jornalismo implica uma “salvaguarda”. “Penso que o jornalista deve ter uma formação básica que viabilize sua atividade profissional, que repercute na vida do cidadão em geral”. Então, merece um email de agradecimento por acreditar em nós: marcoaurelio@stf.gov.br

Por enquanto é só. Vamos aguardar os próximos capítulos dessa novela! Isso ainda vai render.....
Bjs e me twitta

Um comentário:

Leonni disse...

Thais,
Sábias e belas palavras. Mas temos que fazer um protesto conjunto, uma verdadeira mobilização. Eu ainda era um pirralho, mas lembro e hoje ainda posso ver fotos dos cara-pintadas do impeachment do Collor. Será que nossa geração não é capaz de se indignar também?? E esse fato meche conosco, nosso futuro profissional.
Um abraço.